Lembranças de viagem

Julho e agosto são meses ruins para visitar Brasília
12/08/2014
O incrível por do sol de Brasília nesta época do ano
15/08/2014

Das nossas viagens, o que guardamos de mais precioso são as lembranças dos momentos vividos, das experiências únicas e até dos micos que pagamos. Fica tudo registrado na memória, nas fotos, nos vídeos e, claro, nessa pequena bagagem que trazemos para casa.

Dizem os psicólogos que as lembranças de viagens não estão associadas às informações objetivas sobre uma cidade e sim à exploração do que ficou registrado interiormente, em cada um de nós. Nossas lembranças têm a ver com nossas sensações diante do desconhecido. Seja lá como for,  nós, aqui do blog, sempre trazemos para casa alguma coisa que nos marcou, particularmente, durante as viagens que fazemos. Pode ser o ingresso para um espetáculo deslumbrante, a folha seca de um jardim onde fizemos um pic-nic e até – por que não? – os souvenirs clássicos que são a cara de uma determinada cidade ou país.

Assim, o velho chapéu Panamá pendurado no armário nos leva imediatamente à feira de Otavalo, no interior do Equador;  o frasco para perfume, em cristal azul, com borrifador, nos remete a Paris; o galo de Barcelos, colorido, é a cara de Portugal; as matrioskas russas, pequenas bonecas de madeira pintada à mão, nos lembram a Ucrânia em tempos de paz e a lâmpada mágica de Aladim recorda o Marrocos e suas histórias das mil e uma noites…

Esta semana, nossa página no Face está mostrando a pequena coleção que guardamos como registro de momentos inesquecíveis e, com isso, a gente quer estimular os amigos que viajam a também começarem suas próprias coleções. Se você tem netos, então, esses objetos podem ser a deixa para intermináveis histórias.

Há quem diga que isso só ocupa espaço na casa, junta poeira e não tem valor. Para nós, aí é que está a graça da coleção. Encher nossa casa de boas lembranças é questão de honra  – a poeira se acumula mesmo, mas isso nos obriga a passar um pano e reviver tudo outra vez – e,  se esses objetos não têm valor monetário, para nós têm imenso valor afetivo, pois cada uma tem sua história, que também é parte da nossa.

E você? O que está esperando?

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prove que você é um ser humano! * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.