As pontes de Budapeste

Para quem gosta de arte
12/09/2013
A Basílica de Santo Estevão
12/09/2013

As pontes de Budapeste

Rio Danúbio, que divide a cidade de Budapeste ao meio, é o segundo mais longo da Europa, atrás apenas do Rio Volga, na Rússia. Com aproximadamente 2,8 mil km, o Danúbio tem sua nascente na Floresta Negra da Alemanha e atravessa o continente de oeste a leste, passando pela Áustria, Eslováquia, Hungria, Croácia, Sérvia e Bulgária, até desaguar no Mar Negro, na Romênia.

Na capital da Hungria há nove pontes atravessando o Danúbio. Sete delas são liberadas para o tráfego de veículos e pedestres, enquanto as outras duas são exclusivamente para trens. As pontes fazem parte do cenário e da história da cidade. São belas tanto de dia quanto a noite, quando recebem iluminação especial. As três mais antigas e também as mais conhecidas estão localizadas na região central da cidade: a Ponte das Correntes, a Ponte Elizabeth e a Ponte da Liberdade. Todas elas foram destruídas durante a Segunda Guerra  Mundial e tiveram que ser reconstruídas.

Ponte das Correntes (Lánchíd) é a ponte mais famosa da cidade. Foi a primeira travessia permanente entre Buda e Peste, concluída em 1849.  Com 375 metros de extensão, possui duas grandes torres de sustentação e estátuas de leões em suas entradas. Na entrada do lado Peste da ponte está a praça Roosevelt,  enquando do lado Buda, a praça Clark Ádám e a estação do funicular para acesso ao castelo.

Ponte Elizabeth (Erzsébet hid) é uma grande ponte suspensa e foi concluída em 1903. Ela tem o nome da Rainha Elisabeth, que foi imperatriz do império Austro-Húngaro até ser assassinada em 1890. Uma grande estátua de bronze da rainha está localizada numa pequena praça junto à entrada do lado Buda da ponte.

Ponte da Liberdade (Szabadság híd) é uma grande estrutura de ferro pintada na cor verde, concluída em 1899. Tem 333 metros de extensão e suas torres possuem no alto uma estátua de bronze de um párraso Turul, espécie típica da região da Hungria. No lado Buda da ponte está o Hotel Gellert, enquanto no lado peste encontra-se o Mercado Central.

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prove que você é um ser humano! * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.