Saiu a ganhadora do sorteio de aniversário do blog!

E saiu desde o dia 9/2 o resultado da promoção de aniversário do blog, que sorteou um Guia de Viagem da cidade escolhida (no caso, Orlando, na Flórida) e também 5 mil milhas Smiles para ajudar a vencedora em sua próxima trip! E a sortuda foi a nossa seguidora Thuane Priscilla, daqui do Distrito Federal! Alô, Thuane, apareça! Deixamos uma mensagem para você na página do blog (www.onvacation.com.br) e agora esperamos seu contato para entregar os brindes!


Ainda dá tempo! Conte sobre seus planos de viagem…

… e concorra a uma brinde sensacional, para celebrar o aniversário de 4 anos do blog!

Basta escrever pra gente no campo destinado aos comentários e falar um pouquinho sobre aquela viagem incrível que vc planejou fazer em 2017! O felizardo ou felizarda vai ganhar, além do brinde, um espaço, aqui, para contar tudo sobre a viagem, quando retornar.

Escreva! Tem cada viagem…

O prazo acaba no dia 9/2 e no final do dia a gente vai fazer o sorteio!


E por falar em restaurante…

… a gente foi conhecer o JAM, em S.Paulo, e voltamos de lá completamente apaixonados. Lugar bonito, pratos diferenciados preparados com ingredientes de alta qualidade, música boa (ao vivo), gente bonita circulando, atendimento gentil, enfim, foi uma experiência e tanto que a gente queria compartilhar com a galera que curte gastronomia aqui no blog.

De entrada, peça o Ussuzukuri Trufado (finas fatias de peixe com azeite trufado), que vem em forma de flor, para comer com os olhos. Depois, a gente falou com o gerente e acho que ele deixou por conta do Chef, pois chegaram à mesa peças variadas, todas muito saborosas, fazendo um mix que “passeou” por todo o menu da casa. De sobremesa, o Icy Lichia, sorvete de lichia (em pedaços), com champanhe, um luxo.

Preços? Não são baratos, mas num restaurante desse nível não dá para esperar comida barata. Em média, 150 reais por pessoa, com direito a um drinque (todos são ótimos) e ainda tem um mini drink de cortesia. Então, se você, como nós, não está com dinheiro sobrando no bolso, nossa sugestão é deixar para ir ao Jam numa ocasião especial, quando quiser fazer bonito, impressionar ou presentear a si próprio. Vale!

Nota: este é um blog independente, sem patrocínio, que não recebe descontos, nem favores de nenhum estabelecimento indicado aqui. E isso é o que torna o blog confiável. Não vivemos disso. Nosso objetivo é compartilhar com vocês as nossas próprias experiências, sejam elas boas ou decepcionantes. 


Atualizando os bons restaurantes de São Francisco, CA

Amigos planejando viagem pra São Francisco, na Califórnia, e a gente resolveu dar um empurrãozinho atualizando os posts, começando, claro, pelos restaurantes. Anotem aí:

  1. Hog Island Oyster Co – pra quem gosta de ostras, não tem outro lugar! Fica no mercado central de Ferry Building, local que por si só já vale o passeio;
  2. Farina – pra quem procura a boa comida italiana, no número 3560 da 18 St, no Mission District;
  3. Delfina – para as pizzas mais saborosas da cidade (no número 3620, da 18 Street);
  4. Akikos – para degustar sem pressa os sushis mais elaborados de SF (número 431, da Bush St);
  5. Nativa and CO – pra galera que gosta de comida saudável (168, Sutter St);
  6. Shorty Goldstein’s – vá de coorned beef, que não tem erro! Aproveite para abastecer a despensa, porque esse aí é uma delicatessen completa, que fica no número 126, também na Sutter St;
  7. Yang Sing – mais um asiático imperdível! Anote o endereço: 49, Stevenson Street.

 


Ano Novo, viagens novas… e o blog fazendo aniversário de novo!

Mal começou  o ano e o blog já tá planejando a comemoração de mais um aninho na praça. E, claro, planejando novas viagens também! Mas este ano o que a gente anda querendo fazer mesmo é xeretar que viagens vocês estão armando para 2017. O ano chega cheio de feriadões, acho que são 10 ou 11, então dá pra planejar muita coisa, não dá?

Fora isso,  a gente começou a ano com gás novo e já estamos planejando um monte de novidades por aqui pelo site, que logo os amigos que nos seguem vão ficar sabendo. É esperar pra ver!

Agora, voltando às viagens: tá planejando o quê? Escreve para gente contando seus planos para 2017 porque a gente vai sortear um brinde muito bacana (não é chaveirinho nem imã de geladeira, não!!!) entre a galera que escrever pro blog compartilhando a viagem dos sonhos neste ano que tá só começando.

Não importa se sua aventura é pra Nova Zelândia ou para a Amazônia brasileira, o que importa é que a gente quer saber o que vai rolar por aí. Quer participar? Escreve, vai! A promoção vai até 9 de fevereiro e se você tiver mais de uma viagem nos planos pode mandar todas elas, mas uma de cada vez, por favor!

Vambora?

 


Porto Velho – mais coisas para fazer por lá

Se você está em Porto Velho e ainda não descobriu tudo o que a cidade oferece, a gente vai dar mais uma mãozinha. Porto Velho, cidade com mais de 500 mil habitantes, tem, sim, muita coisa bacana pra ver e aproveitar. Hoje a gente só vai listar o que não entrou no post anterior, então, para ver tudo, dê uma olhadinha no que já postamos, lá trás:

  1. Tomar uma gelada no Mercado Cultural – construído em 1915, o prédio do antigo mercado da cidade foi completamente destruído por um incêndio em 1966 e atualmente, após reconstruído, passou a ser ocupado por eventos culturais e artesanato. À noite, mesas se espalham pelas calçadas e, quando a temperatura esquenta, uma cerveja gelada ao som que rola por lá, vale muito a pena. Praça Getulio Vargas, s/n;
  2. Visitar o prédio da Universidade Federal de Rondônia, de 1953, onde funcionou durante muitos anos o PortoVelho Hotel, reduto da sociedade local. Vale a visita pela beleza arquitetônica do local;
  3. Compras no Porto Velho Shopping – pra fazer compras de marcas conhecidas e outras, nem tanto. Para as crianças, é diversão garantida. Av.Rio Madeira, 3288;
  4. Comer uma moqueca no Remanso do Tucunaré – restaurante super simples, de decoração duvidosa, mas a comida é boa e tem bom preço. Fica na Rua Brasília, 1506;
  5. Dar uma volta pela Calçada da Fama, reduto da boêmia, da turma que curte os bares e casas noturnas da cidade; fica na Rua Pinheiro Machado, centro;

Se você tiver mais dicas de Porto Velho, escreva pra gente! Mande suas dicas que vamos colocar aqui!


A culinária de Malta

Comer bem na região do Mediterrâneo é quase uma redundância. Uma coisa está ligada à outra: frutos do mar, peixes frescos, azeites, queijos… Delícias que em Malta estão por toda parte.

Um dos pratos típicos da ilha é a carne de coelho ao vinho, servido com batatas. Nas ruas, os pastizzi (pequenos salgados folheados servidos quentinhos) vale a pena experimentar.

Destaque para as bebidas, incluindo o Bajtra, um licor feito do fruto do cacto, que na verdade é o nosso conhecido figo-da-índia (Opuntia ficus indica). Esse fruto você encontra em qualquer esquina de Malta, plantado aos montes na frente dos terrenos ou sendo vendido nas ruas, em tachos de cobre ou ferro.

Fora isso, ainda tem o Kinnie, um tipo de refrigerante feito com laranja amarga e ervas, que a gente não apreciou muito, mas que isso fique somente entre nós, porque esta bebida é o máximo para os malteses. E, para quem quer mesmo é uma cerveja estúpida, a maltesa Cisk não decepciona. É gostosa e diferente!


Malta, um paraíso no meio do Mediterrâneo

ilha de Malta é uma preciosidade fincada no meio do mar Mediterrâneo, entre o sul da Itália (a 90KM da Sicília) e a 290 Km do norte da África. Chegamos lá em visita a um queridíssimo casal de brasileiros que, assim como nós, gosta de se aventurar pelo mundo. Ficamos três dias e saímos de lá encantados e querendo voltar.

Apesar de ser pequena –  400 mil habitantes e 240 km² de área – , Malta tem muito o que ver e fazer. O país, que é formado por três ilhas (Malta, Gozo e a quase desabitada Comino) já passou pelas mãos dos fenícios, romanos, árabes, entre outros. Os últimos foram os britânicos que ficaram lá por cerca de 150 anos e deixaram suas marcas, entre elas, o jeito de dirigir carros, em mão inglesa, um desafio para nós.

Em Malta fala-se o maltês, um dialeto incompreensível, o italiano e o inglês, língua oficial.

A capital, Valletta, tem só seis mil habitantes, mas é um charme que inclusive foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Grandes fortificações, jardins incríveis, quase tudo em tons terrosos lembrando bastante o Marrocos.

Visitar a Mdina, também conhecida como “cidade do silêncio”, é simplesmente obrigatório. Se você não tiver tempo de fazer mais nada em Malta, visite a Mdina e aí, sim, o encanto é completo. Mais uma vez – e aqui, especialmente – parece que você está no Marrocos, por causa das ruelas medievais estreitas, do lindo visual e das construções históricas em terracota.

Vamos falar muito mais de Malta nos próximos posts: gastronomia, lugares badalados, passeios…

 

 


10 passeios no Lago di Como, Itália

O ideal é ficar de dois a três dias no Lago di Como, não precisa mais do que isso, a não ser que você queira ficar admirando a paisagem, o que, convenhamos, não é nada mal. Nesses dois ou três dias, há muito o que fazer e a gente selecionou alguns programas que consideramos imperdíveis mesmo:

  1. Palácio Vila Carlota, de 1690, na cidade de Tremezzo. Separe uma manhã ou uma tarde inteira, porque vale. É fali chegar lá, especialmente se você está hospedado em Bellagio, que fica pertinho, basta atravessa o lago em qualquer um dos barcos que partem a cada meia hora do píer;
  2. Cidade de Como, que dá nome ao lago. É a maior cidade da região, com cerca de 90 mil habitantes (enquanto as outras têm, em média 5 mil). Aproveite e pegue o funicular para conhecer outra cidadezinha (Brunate) e vá também ao Duomo;
  3. Varena, uma cidade tão linda e tão colorida, que você vai querer viver para sempre ali. Fica quase em frente a Bellagio, mas na margem oposta a Tremezzo (ou Tremezzina). Há um serviço de balsa que faz a travessia em 20 minutos e leva carros e pedestres;
  4. Parque Meyer, em Tremezzo/Tremezzina – cheio de jardins incríveis, esculturas, o lugar perfeito para fotos com o lago ao fundo;
  5. Jantar no La Terraza, restaurante do Grand Hotel Tremezzo. Mesmo que você não esteja hospedado no hotel, vale o jantar. O lugar é simplesmente mágico, você não se arrependerá. Mas é caro e precisa fazer reserva ((pelo site), ou por telefone (+39 0344 42491).
  6. Pegar os barcos que saem a cada meia hora (a gente saiu sempre do píer que fica em Bellagio, na frente do Hotel du Lac). Os barcos passam por todas as 40 cidades ao redor do lago e você escolhe onde desce e sobe. Funciona como um hop-on-hop-off; preços variam entre €1,30 e €14,80, dependendo do trajeto escolhido e da época do ano. Sugerimos descer em Bellagio, Laglio, Varenna e Tremezzo, pelo menos. Fique atento à rota e aos horários dos barcos, embora saiam do mesmo local, os destinos e a duração dos passeios variam e há barcos rápidos (mais caros) e barcos lentos (mais baratos).  Se você quiser visitar mais de uma cidade, compre o bilhete de circulação livre (biglietto di libera circolazione), que custa €25,8, é válido por todo o dia e permite viagens ilimitadas;
  7. Almoçar no Bar e Restaurante Azalea, no Hotel Azalea, em Tremezzo – comida boa, vista sensacional, pendurado sobre o lago;
  8. Compras de produtos de seda – não fizemos essas compras em outras cidades e sim em Bellagio, onde nos hospedamos; Mas acredito que seja mais ou menos a mesma coisa em todas elas. Gravatas belíssimas e lenços femininos maravilhosos;
  9. Andar pelas ruelas, subir e descer escadarias vasculhando cada cidade – é um passeio e tanto, rende fotos lindas e você ainda vai descobrir muita coisa legal para fazer;
  10. Fazer o passeio de trenzinho que liga as cidades de Menaggio até Tremezzo (foi o percurso que fizemos); é um trenzinho simples, vermelho, chamado Trombeta Express, parece coisa da Disney, mas é um programa e você vai apreciando a paisagem linda, não se cansa de andar, achamos divertido. Tem gente que acha muito bobo, a gente gostou!

Lago di Como, um lugar pra ir a dois

O Lago di Como é um daqueles lugares que te deixam paralisado. Impossível esquecer. Pra nós, que nos consideramos “rodados”, a beleza do lugar só se compara a Lake Tahoe, em território americano, no estado de Nevada.

O Lago di Como é o 3º maior lago da Itália (tem 146 km2) e está localizado no norte do país, bem pertinho da fronteira com a Suíça, a mais ou menos 50 Km de Milão.  O lago tem formato de Y e há dezenas de cidadezinhas lindas ao redor de suas margens Tornou-se um destino de luxo para os muito ricos depois que grandes astros do cinema mundial resolveram comprar casa por lá, entre esses, nada mais nada menos que George Clooney, Madona, etc e tal.

A melhor forma de chegar ao lago é saindo de Milão, de carro, mas você pode também ir de trem, descer na cidade de Como (porta de entrada para o lago) e de lá seguir de shuttle ou táxi para o seu hotel de destino.

Optamos por nos hospedar na cidade de Bellagio, que fica bem no meio da intersecção do Y e, sem dúvida, é um dos lugares mais badalados e mais lindos do lago. Ficamos no Hotel du Lac, que está localizado a 20 metros do píer de onde saem todos os barcos para passeios. O local é disparado o melhor, mas o hotel está decadente e precisando de reformas urgentes, por isso, não aconselho. Mas há dezenas e dezenas de opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos.

Bellagio é a cidade da seda e lá vou vai encontrar ótimas opções de compras, especialmente de gravatas e lenços maravilhosos, a bons preços. Uma boa chance de comprar as lembranças para os amigos sem gastar fortunas e, melhor, sem ocupar espaço na mala. Bill Clinton e Barack Obama compram, até hoje, algumas de suas gravatas na cidade.

Para os endinheirados, sugerimos se hospedar na cidade de Tremezzina, que fica quase em frente a Bellagio (mas na outra margem), onde está localizado o super incrível Grande Hotel Tremezzo, que é simplesmente espetacular.

Vamos falar mais sobre este destino. Aguardem!